Tudoem Mogi das Cruzes
Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes

Close
Fechar
Conheça as outras cidades onde o Tudoem esta presente
Tudoem Mogi das Cruzes

Vacinação contra o sarampo dobra

Fonte:Prefeitura de Arujá
Tudoem Mogi das Cruzes
Tudoem Mogi das Cruzes

Vacinação contra o sarampo dobra; dose da pentavalente segue em falta

 

       A vacinação contra o sarampo em Arujá mais do que dobrou na comparação entre os meses de maio e agosto de 2018 e 2019. O aumento nos casos da doença em todo o Brasil é o principal motivo que levou ao dado apresentado pela Secretaria de Saúde e, consequentemente, ao desabastecimento pontual em algumas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Em audiência pública na Câmara, a Pasta também esclareceu alguns pontos sobre a falta da vacina pentavalente.

         De acordo a prestação de contas, Arujá aplicou 2.079 doses da vacina SCR (sarampo, caxumba e rubéola) no segundo quadrimestre do ano passado e 4.467 no mesmo período deste ano, o que consiste em 114% de elevação.

         Em Arujá, há 14 casos confirmados de sarampo em 2019, contra nenhum registro em 2018.

        “A maior arma para evitar doenças é a vacina. A situação do sarampo não era necessária, mas ocorreu, entre outros fatores, porque muitas pessoas não tomaram a vacina, assim como no caso da febre amarela, em que houve uma campanha gigantesca recentemente e ainda hoje recebemos pessoas nas UBSs que não estão protegidas”, explicou a diretora da Vigilância em Saúde, Mirian Miletti, em audiência pública na Câmara de vereadores.

         Pentavalente

         Respondendo a questionamentos do vereador Rogério Gonçalves Pereira, o Rogério da Padaria, a diretora também esclareceu porque há falta da vacina pentavalente em todo o Brasil: 6 milhões de doses compradas de um laboratório da Índia foram reprovadas em testes de qualidade do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde e análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

        Desde o início de agosto, o Ministério da Saúde não encaminha doses à cidade, mesmo após o pedido de reposição. Sem produção nacional e, portanto, importada, a pentavalente previne contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e a bactéria haemophilus influenza tipo B. É aplicada nas crianças de 2, 4 e 6 meses de idade.

       “Essa não é uma situação pontual de Arujá, mas algo que está acontecendo no País inteiro. Nós, que somos técnicos, temos uma preocupação enorme e discutimos o assunto diariamente. As solicitações de vacinas são feitas constantemente e as equipes das UBSs são mantidas bem informadas de tudo o que está acontecendo”, explicou.

         Ministério

         O Ministério da Saúde solicitou a reposição do fornecimento à Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), por meio da qual a compra é feita. Segundo informações do site do órgão federal, a previsão é que o abastecimento volte à normalidade a partir de novembro.

Autor

Tudoem

Prefeitura de Arujá

Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Arujá

pma.imprensa@aruja.sp.gov.br

admtudo*

Comentários

Voltar ao Topo