Tudoem Mogi das Cruzes
Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes

Close
Fechar
Conheça as outras cidades onde o Tudoem esta presente
Tudoem Mogi das Cruzes

Violência doméstica na quarentena

Fonte:Prefeitura de Arujá
Tudoem Mogi das Cruzes
Tudoem Mogi das Cruzes

Violência doméstica na quarentena: Denúncias podem ser feitas via telefone e internet

 

         Casos de violência doméstica e familiar contra a mulher, independentemente do tipo, devem ser denunciados às autoridades, inclusive durante o período de quarentena. Em Arujá, as ocorrências podem ser notificadas à Guarda Civil Municipal (GCM), pelo telefone 153, e à Polícia Militar (PM), discando 190.

       Também há a possibilidade de fazer registro junto à Central de Atendimento à Mulher, por meio do número 180, bem como à Delegacia Eletrônica, acessando o link www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br. Já denúncias de estupro devem ser feitas presencialmente na delegacia de polícia.

         Para a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Arujá, Lúcia Ribeiro, o aumento dos casos de violência doméstica em meio ao isolamento social divulgado pela imprensa é motivo de grande preocupação.      

        “Imagina a vítima formalizar denúncia e ter de conviver com o agressor em casa, 24 horas por dia. O medo de denunciar pode tomar conta das mulheres, por isso é essencial o apoio da família e do poder público no ato da denúncia, assim como nas medidas de proteção”, afirma.

         De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, cuja edição mais recente compila dados referentes a 2018, apenas 7,5% das vítimas de violência sexual registram boletim de ocorrência, seja por medo de retaliação do agressor (geralmente um conhecido), seja por receio do julgamento que será exposta após a denúncia, além de outros fatores que interferem na decisão de notificar ou não o caso à polícia.

       Só em 2018, mais de 66 mil estupros foram contabilizados, segundo os indicadores, entre os quais 81% das vítimas eram do sexo feminino. O mesmo levantamento ainda mostra que o país registrou números superiores a 263 mil casos de violência doméstica em um ano. O dado indica que, a cada dois minutos, uma mulher notifica uma lesão corporal dolosa sofrida em sua própria casa.

         Tipos de violência

         A violência contra a mulher, segundo a Lei 11.340/2006, pode ser classificada em cinco tipos:

  •      Violência física: qualquer conduta que ofenda a integridade ou saúde corporal da mulher (agressão física, feminicídio);
  •    Violência psicológica: qualquer conduta que cause dano emocional à mulher, que prejudique seu desenvolvimento ou que vise controlar suas ações, comportamentos etc. (perturbar a tranquilidade, perseguir, ameaçar, violar a intimidade);
  •      Violência sexual: qualquer conduta que constranja a mulher a presenciar, manter ou a participar de relação sexual não desejada, mediante intimidação, ameaça, uso da força etc.;
  •       Violência patrimonial: qualquer conduta que configure retenção, dano ou furto de seus objetos, documentos, bens e valores econômicos etc.;
  •       Violência moral: qualquer conduta que configure calúnia, difamação ou injúria contra a mulher.

         Delegacia Eletrônica

         A Polícia Civil de São Paulo disponibiliza um passo a passo sobre como registrar ocorrência de violência doméstica e familiar contra a mulher pela internet. O documento pode ser acessado no link: https://www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br/ssp-de-cidadao/home .

 

Autor

Tudoem

Prefeitura de Arujá

Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Arujá

pma.imprensa@aruja.sp.gov.br

admtudo*

Comentários

Voltar ao Topo