Tudoem Mogi das Cruzes
Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes Tudoem Mogi das Cruzes

Close
Fechar
Conheça as outras cidades onde o Tudoem esta presente
Tudoem Mogi das Cruzes

Kirschen Chocolates Finos

Fonte:Bruna Antunes
Tudoem Mogi das Cruzes
Tudoem Mogi das Cruzes
Autor

Tudoem

kirschen

Fabrica de chocolates finos

bruna.antunes@hotmail.com.br

kirschenchocolatesfinos.com.br


Quem é a Kirschen Chocolates Finos

A Kirschen Chocolates Finos é uma fábrica de chocolate que existe na cidade de Arujá desde 1980, localizada até um ano atrás no Parque Nossa Senhora do Carmo. (Hoje: av marechal castelo branco, 485. Jd Rincão- Arujá). Fundada pelo Sr. Antônio Nogueira Ramos Cobra, que com sua simpatia e mãos abençoadas conquistou uma boa clientela. Hoje este senhor esta com 94 anos de idade, iniciou sua carreira na Chocolataria muito cedo. “Antigamente, mesmo antes dos 15 anos de idade os cidadãos tinham que ter carteira assinada, fui procurar emprego onde minha mãe trabalhava, e lá o dono da empresa, me perguntou o que eu gostaria de fazer, e eu com meus sonhadores 11 anos de idade, disse que queria aprender a fazer ovos de Páscoa”, disse o Sr. Antônio. Sua carteira, no caso, foi assinada pela primeira vez no Gardano, hoje, atual Nestlê. Depois chegou a trabalhar na Bauducco, onde foi o confeiteiro particular da família Bauducco. Quando chegava a época da Páscoa, ele era o responsável por elaborar os ovos de Páscoa para os amigos e familiares do Sr. Bauducco que moravam na Itália. O Sr. Antônio sempre diz: “ se aparecer um italiano ou francês, sempre ofereça bombons de chocolate meio amargo ou amargo, porque eles não gostam de açúcar como o brasileiro”. Foi amigo pessoal do Sr. Bauducco e de sua família, sendo requisitado também por outras fábricas a resolver problemas internos de produção e de planta. Outra amizade ilustríssima se trata do Sr. David Kopenhagen, o qual também foi amigo pessoal, e chegou a vir visitar a Kirschen aqui em Arujá quando recém fundada, veio bater um papo e perguntar se o Sr. Antônio precisava de alguma ajuda e lhe presenteou com alguns moldes para ovos de Páscoa. Mas onde o confeiteiro ganhou fama foi através da Dulca, local onde trabalhou por quase 30 anos, conheceu diversos chefs de confeitaria internacional com quem trocou receitas e foi ganhando respeito. Tornou-se o principal confeiteiro da Dulca no ano em que ela foi considerada uma das melhores confeitarias da América Latina, portanto, tornou-se um dos melhores confeiteiros da América Latina. Confesso que durante minha rotina na cozinha, procuro estudar muito, tenho uns 5 ou 6 livros de chocolateria profissional, enfim, mesmo assim, passo aperto, pois, a Chocolateria é uma área muito temida entre os profissionais da Confeitaria.

Da última vez foi o foundant que não ficava no ponto certo por nada. Consultava os livros, o google, o youtube, e nada. Não pensei duas vezes. Liguei para o Sr. Antônio que logo se colocou à disposição para me ajudar. Aos 94 anos, ele se lembra de temperaturas, pontos de calda, e é claro, da receita do foundant!!! Então, ele me passou instruções, as quais, não estavam nos livros profissionais, e indaguei: “mas isso não fala nos livros..” e então ele retrucou: “ faz o que estou te falando que vai dar certo’, e deu. O seu impressionante know how espanta qualquer um. Eu me considero muito abençoada por cruzar o caminho deste senhor, por ter aprendido sobre chocolateria fina com ele, este homem distinto e extremamente carismático o qual eu nutro eterno respeito, meu mestre. Após os seus 27 anos de Dulca, veio para Arujá e resolveu montar a sua própria fábrica de chocolate, a Kirschen Chocolates Finos. Conquistou clientes que até hoje me procuram para se deliciarem com seus maravilhosos e irresistíveis bombons.

Eu entrei nessa história, quando fui procurar um chocolate para harmonizar com minhas cervejas artesanais. Tive um flash de memória que me remeteu ao bombom mais gostoso que tinha comido na vida até então, que havia ganhado de presente, e fui atrás da fábrica Kirschen. Encomendei vários tipos de chocolate. Liguei na Kirschen e disse que gostaria muito de conhecer o Sr. Antônio. Recebi uma ligação do próprio me pedindo que fosse com uma roupa branca, com um sapato que eu não tivesse usado na rua, e cabelo preso. Ao entrar no salão da fábrica com aquela atmosfera “da casa da vovó”, amavelmente, ele foi me contanto sua trajetória enquanto eu embrulhava bombons e recebia algumas bengaladas quando errava o modo de fechar. Me emocionei diversas vezes, e percebi que aquela empresa era a vida dele, foram 80 anos só de Páscoa. Antes de cada Páscoa vou me consultar e recebo conselhos sobre quantidade, tamanho, e outros segredos do comércio da chocolateria, ele, antes mesmo de começar a Páscoa sabe qual vai ser a forma predominante de pagamento (cheque, cartão crédito, etc), sabe qual tamanho de ovo que mais vai vender, enfim, é o guru do comércio chocolateiro,e não é à toa. Eu só tive sorte, de sem pretensão alguma de compra, ouvir deste senhor: “menina, você leva jeito!, os seus pais são vivos? Quero conhecer sua família e fazer negócios com você!” Até cair a ficha demorou um tempo. E aí, se iniciou minha trajetória nesta empresa. De início percebi que teria que suar muito a camisa para honrar o peso daquele dólmã da Kirschen, pois eu não era da área. Eu como farmacêutica, com MBA de Gestão Empresarial, e mestre cervejeira, comecei a estudar para valer, diante da expectativa dos clientes, eu não podia desapontá-los.

Fiz diversos cursos de chocolateria, inclusive na própria Callebaut para conseguir acompanhar a produção. Hoje, posso dizer que as dificuldades com certeza são menores na cozinha, já consigo criar receitas, reproduzir fidedignamente as receitas secretas do S.r Antônio. Depois veio a intenção de mudar de local, ganhar mais visibilidade, e nos mudamos. Toda aquela paixão que aquele senhor tinha por seus chocolates, nasceu em mim, de forma tão intensa, que posso dizer que já trabalhei sem ganhar nada por meses, já fiz todos os tipos de trabalho, desde aplicar pastilha, até colocar papel de parede, selar o vaso sanitário para não sair cheiro ruim, eu só sei dizer que fiz tudo isso, e faria muito mais, pois sou apaixonada pelo meu trabalho, e muito grata por esta oportunidade. Desta forma, ganhei admiração e respeito dos que acompanham meu trabalho há 3 anos como dona desta empresa.

Sou o tipo de liderança que se presta a qualquer trabalho para ter excelência. Pois sei que uma vitrine de chocolate chama atenção, mas, uma vitrine desenhada por mim, que é limpa por mim ou pela funcionária que eu treinei limpar, da forma correta, com os nossos bombons, feitos um a um, artesanalmente, sem utilizar máquinas, não só uma vitrine, pois, por trás dela, tem uma vida inteira dedicada à chocolateria, 80 anos, para ser exata, tem a minha admiração, tem o meu esforço, são os frutos do meu árduo trabalho, que fui trilhando até chegar a ter uma loja assim, bonita, aconchegante, com um mural de fotos em homenagem ao meu Mestre. Convido a todos a desfrutar desta experiência gastronômica agradável.

E aproveitar para dizer aos Arujaenses que resolvi continuar em Arujá, pois acredito que esta fábrica é um patrimônio desta cidade. Vocês tem muito do que se orgulhar. Quem ainda não nos conhece, venha conhecer. Siga-nos no Instagran, curta nossa página no Facebook. Funcionamos de segunda à sexta das 09:00 às 18:00, e aos sábados, das 10:00 às 17:00. Telefone: (11)4654-1937. Celular (whatss: (11) 9-96255217.

Comentários

Voltar ao Topo